Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

ADIEx ITÁLIA

ADITÂNCIA DO EXÉRCITO JUNTO A REPRESENTAÇÃO DIPLOMÁTICA DO BRASIL NA REPÚBLICA ITALIANA

“ADIEx ITÁLIA”

A Aditância do Exército junto à Representação Diplomática do Brasil na República Italiana (ADIEx ITÁLIA), com sede em Roma, tem sua origem no Decreto do Presidente da República nº 53.937, de 29 de maio de 1964. Com esse Decreto, o presidente Castello Branco fixou, pela primeira vez, a lotação de um oficial superior do Exército, como Adido Militar, Naval e Aeronáutico na Itália.

Após quase vinte anos do final da Segunda Guerra Mundial, com a grande e vitoriosa campanha da Força Expedicionária Brasileira (FEB) em terras italianas, o Brasil, finalmente, fixava uma representação da diplomacia militar no “Bel Paese”. Em janeiro de 1965, o Coronel Luiz Cesário da Silveira, primeiro Adido Militar começava o glorioso trabalho de integração com as Forças Armadas italianas, bem como o resgate da memória dos feitos da nossa FEB.

Evolutivamente, o Decreto nº 70.159, de 17 de setembro de 1972, do presidente Emílio Médici, fixou dois adidos na Itália: um oficial superior do Exército para representar a Força Terrestre e a Marinha e um oficial superior da Força Aérea como Adido da Aeronáutica. Em seguida, com o Decreto nº 75.911, de 26 de junho de 1975, do presidente Ernesto Gaisel, a Itália passa a contar com três adidos militares. A partir desse momento, a ADIEx  volta-se, exclusivamente, para os interesses do Exército Brasileiro na Itália. Nesse período, também foi fixada a existência do cargo de Auxiliar do Adido do Exército, a ser ocupado por uma praça do Exército, na graduação de subtenente ou sargento.

A constante evolução das estruturas de Defesa no mundo levou o Brasil a criar o Ministério da Defesa. Com isso, o presidente Fernando Henrique Cardoso publicou o Decreto nº 3.397, de 30 de março de 2000, determinando que o Adido da Aeronáutica passasse também a representar a Defesa na Itália. Já o presidente Jair Messias Bolsonaro, no Decreto nº 10.017, de 17 de setembro de 2019, determinou que os cargos de Adido de Defesa e seus auxiliares, nos países com dois ou mais Adidos, serão efetivados em regime de rodízio entre os representantes das Forças.

Dentro da valorização permanente da memória dos nossos heróis da FEB, o Comandante do Exército publicou a Portaria nº 670, de 14 de maio de 2019, nomeando, pela primeira vez, um oficial para o cargo de Assessor do Adido do Exército junto ao Monumento Votivo Militar Brasileiro (MVMB), na cidade italiana de Pistoia. Com essa portaria, a ADIEx ITÁLIA passou a ter melhores condições de manter a história da FEB e do MVMB, em parceria com a Embaixada do Brasil na Itália, responsável pela conservação e manutenção do único monumento militar fora do território brasileiro.

Com isso, a ADIEx ITÁLIA conta atualmente com dois escritórios na Itália junto às instalações da Embaixada do Brasil. Em Roma, dentro do “Palazzo Pamphilj”, na “Piazza Navona”, está o escritório central da Aditância. Além do Adido e do seu Auxiliar, trabalham nessa instalação uma secretária e um motorista, ambos italianos. O outro escritório está localizado dentro do MVMB, em Pistoia, local de expediente do Assessor do Adido.

MISSÃO

- Promover a interlocução entre os Exércitos brasileiro e italiano, principalmente nos campos de poder militar e científico-tecnológico.

- Promover a valorização da história da FEB dentro do território italiano, com destaque para as regiões da Toscana e da Emilia-Romagna.

VISÃO DE FUTURO

- Ser uma aditância capaz de coordenar e de apoiar as atividades, que envolvam comissões militares do Brasil na Itália, bem como de participar e de colaborar com os eventos, que façam homenagens à presença da FEB nos campos de batalha italianos.

VALORES

- Patriotismo: amor à Pátria e valorização da história, dos símbolos, das tradições e da nação.

- Dever: cumprir a legislação e a regulamentação a que estiver submetido, com autoridade, determinação, dignidade e dedicação, assumindo a responsabilidade pelas decisões que tomar.

- Lealdade: cultuar a verdade, sinceridade e sadia camaradagem, mantendo-se fiel aos compromissos assumidos.

- Probidade: pautar a vida, como soldado e cidadão, pela honradez, honestidade e pelo senso de justiça.

- Coragem: ter a capacidade de decidir e a iniciativa de implementar a decisão, no intuito de cumprir o dever, assumindo a responsabilidade por sua atitude.

FATORES CRÍTICOS

1. Comprometimento com os valores.

2. Coesão, alicerçada na camaradagem e na disciplina.

3. Liderança que incentive direta ou indiretamente as pessoas (militares e civis).

4. Qualificação profissional e moral, que desenvolva a autoconfiança, autoestima e motivação.

5. Integração com a Embaixada do Brasil, com as demais aditâncias, com as instituições militares e civis e com a sociedade italiana.

registrado em: ,
Assunto(s):
Fim do conteúdo da página