mod_eprivacy

You have allowed cookies to be placed on your computer. This decision can be reversed.

 

Comandante do Exército participa das comemorações dos 70 anos da FEB

 O Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, participou, no período de 20 a 25 de abril, das comemorações dos 70 anos da participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB), durante a Segunda Guerra Mundial, na Itália.

Os eventos tiveram início na Embaixada do Brasil em Roma, ocasião em que foi realizada solenidade em comemoração ao Dia do Exército Brasileiro. A atividade contou com a presença do Embaixador do Brasil, Sr Ricardo Neiva Tavares, do Chefe do Estado-Maior do Exército, General de Exército Sergio Westphalen Etchegoyen, de Pracinhas, adidos militares, representantes de diversas associações de veteranos da FEB e da Associação Brasileira de Preservadores de Veículos Militares.

Como parte das comemorações, foram realizadas visitas aos principais sítios históricos, onde houve participação da FEB, como Castelnuovo, Monte Castelo, Porreta Terme e Montese. Em cada local, foi inaugurada uma placa rememorando os feitos dos Pracinhas e colocada uma coroa de louros em homenagem aos mortos da campanha.

 Em Iola, vilarejo onde se instalou uma enfermaria do 1º Batalhão de Saúde, a comitiva participou do encontro da “Coluna da Vitória” com a “Coluna da Libertação”: a primeira, integrada e organizada por brasileiros entusiastas da epopeia da Força Expedicionária; e a segunda, composta de italianos que comemoram todo dia 25 de abril a libertação do país da ocupação nazifascista. Na praça central do vilarejo, houve uma exposição com mais de 100 viaturas históricas, o que estumulou a integração entre pessoas de diversas nacionalidades.

Algumas solenidades foram particularmente marcantes, como a que lembrou a morte do Sgt Max Wolff Filho, em Riva di Biscia, e a do Asp Mega, em Montese.

Igualmente marcante foi a realizada em Precaria, localidade em que foram encontrados três brasileiros mortos que resistiram heroicamente aos alemães. Os Pracinhas mereceram do inimigo uma referência ao seu valor militar. Esse fato inspirou a banda sueca Sabaton a compor uma música denominada Smoking Snakes.

 Os moradores mais antigos da região lembram com carinho dos soldados brasileiros, contam histórias de como eram tratados pelos nossos Pracinhas e de como os soldados compartilhavam sua ração com os moradores locais. Nessa região da Itália, a palavra “mingau” é empregada como gíria, significando coisa boa, coisa gostosa, pelo fato de os militares oferecerem esse prato à população. Os Italianos mais idosos nos veem como libertadores e nos consideram, até hoje, amigos e irmãos. Era a Mão Amiga e o Braço Forte em 1945, sem dúvida, "Mesmos Valores, Novos Desafios".

Idioma

Topo
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com